Limpeza de motel

Enfermidades contraídas, por meio de bactérias, são resultado da falta de higiene adequada e consequência da rotatividade de pessoas nesses locais

Os motéis são locais que expõe os frequentadores a risco de contração de várias doenças. O grande fluxo de pessoas nos espaços favorecem as ocorrências.

Sarna, frieira, chato e doenças da pele contraídas por meio de bactérias e fungos estão entre os problemas de saúde mais frequentes. A popular sarna é uma infecção parasitária, causada por um parasita que provoca coceira alérgica intensa. O contágio acontece quando há o contato da pele com algum objeto infectado e o tratamento é feito com uso de medicamentos. Saunas, banheiras e piso de banheiros são locais que propiciam o aparecimento da Tínia, a popular frieira.

O chato é uma espécie de piolho, que geralmente se concentra na região pubiana, e se alimenta de sangue. Ele causa coceira intensa e a remoção do problema carece de aplicação de loções específicas, entre outros cuidados. Os lençóis e outros tecidos que tenham sido usados por quem está com o problema precisam ser higienizados para não acontecer novas contaminações.


Foto: Divulgação

As banheiras, saunas e outros locais que concentram umidade e calor favorecem a proliferação de fungos e bactérias, por isso eles merecem maior cuidado na hora da limpeza. No entanto, lençóis e os espaços citados anteriormente não estão presentes apenas nos motéis. As saunas, por exemplo, podem ser de um clube. "Por isso é sempre importante andar calçado e ter cuidado ao escolher o ambiente a ser frequentado", aconselha a médica infectologista, Letícia Aires.

Apesar de não serem desprezadas, essas doenças não são as mais perigosas para a saúde nesses ambientes. As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's) são nocivas e carecem de bastante prevenção. A maior delas é o uso da camisinha. Entre as DST's mais lembradas estão aids, sífilis, hepatite B, cancro e condiloma. A aids é uma das mais perigosas, com a estimativa de 35 milhões de infectados segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), no Brasil o número é de 752 mil pessoas convivendo com a doença. Os dados da ONU apontam ainda, que 1,5 milhão de pessoas no mundo tenham morrido, em 2013, por causa de complicações da doença.

Graves
A sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum. Ela pode também ser transmitida verticalmente, da mãe para o feto, por transfusão de sangue ou por contato direto com sangue contaminado. Se não for tratada precocemente, pode comprometer vários órgãos como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso. Os sintomas da sífilis podem ser, em seu estágio mais avançado, complicações cardíacas, problemas na visão, transtornos mentais e paralisia. O tratamento é feito com antibióticos e um bom acompanhamento clínico cercado de exames.

A hepatite B também mata, alguns dos sintomas são: náuseas, vômitos, fadiga e dor abdominal. O tratamento também é possível, mas além de usar o preservativo nas relações sexuais é possível se prevenir tomando as doses no prazo correto da vacinação oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Feridas de cor avermelhada e que causam dor é uma das maiores evidências do Cancro. Geralmente essas feridas se apresentam na genitália externa. O problema pode ser resolvido após a ingestão de antibióticos sob orientação médica e limpeza regular dos ferimentos.

O condiloma é um problema que se evidencia pela formação de verrugas de tamanhos variáveis, o tratamento também está disponível na rede pública, onde também existe vacina para evitar a doença causada pelo Papilomavírus humano (HPV). Entretanto, a vacina está disponível apenas para uma faixa etária específica do público feminino, adolescentes de nove a 13 anos. Para prevenir a infecção causada por qualquer das DST's mencionadas "o uso do preservativo está primeiro lugar. Ele é a forma mais eficiente de evitar essas doenças", alerta a infectologista.

Fiscalização
O Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia é o responsável por verificar as condições dos 373 hotéis, 64 motéis e 128 pensões e dormitórios da Capital. No entanto, não são contemplados aí, os motéis que ficam às margens da BR-153, município de Aparecida de Goiânia, a fiscalização destes ficando a cargo da Vigilância Sanitária daquele município.

Neste tipo de estabelecimento são verificadas as condições de higiene, documentação, funcionamento da lavanderia e cozinha, quando existem. A chefe da Divisão de Fiscalização de Ambientes de Interesses da Saúde (DFAIS), Francinêz Linhares Ferreira informou a reportagem do Diário da Manhã que todos locais são vistoriados pelo menos uma vez ao ano. "A gente está olhando tudo, tudo mesmo, verificamos o trabalho de limpeza, cozinha, saunas, banheiras e sanitários", exemplifica.

Interdição
Além de olhar a higiene e a documentação, nos quartos são observadas as condições de ventilação, a cobertura de lençóis e travesseiros – estes devem ser revestidos com material impermeável, a manutenção dos aparelhos de ar-condicionado e o funcionamento da lavanderia. Existem estabelecimentos que terceirizam lavanderia e cozinha, neste caso a documentação é conferida e os estabelecimentos parceiros também recebem visita do órgão.

Dependendo do problema, pode acontecer uma simples notificação para correção, aplicação de multa e até interdição. Alguns estabelecimentos da Capital já tiveram funcionamento impedido por apresentar falhas graves.

Doenças transmitidas pelo beijo
O contato entre duas pessoas por meio do beijo pode ter como consequência problemas de saúde. Durante o ato as pessoas trocam saliva (fluido formado por 99% de água e que contém amilase, enzima digestiva que decompõe o amido contido nos alimentos), sais minerais e uma gama de microorganismos, muitos deles causadores de doenças.

Não é para menos, em um beijo é possível trocar até 250 mil bactérias. Assim o organismo fica exposto a doenças como gripes, herpes e gengivite. 

O acúmulo de bactérias na boca pode provocar inflamação na gengiva, a gengivite tem como sintoma dor e desconforto. A gengiva fica vermelha, inchada e sensível. Ela pode sangrar durante a escovação. Se não cuidada, a doença pode evoluir para uma periodontite que provoca reabsorção óssea, retração da gengiva e consequentemente, mobilidade e perda dos dentes.

As gripes podem ser pegas por meio do beijo, por causa da troca de saliva. Algumas são mais fáceis de tratar, mas o cuidado é necessário por causa das formas mais graves das gripes, como H1N1, ou influenza A. Os sintomas febre, dor no corpo e mal-estar se parecem com os de uma gripe convencional, mas esconde o grande perigo do vírus H1N1. O tratamento existe, mas o diagnóstico precisa ser feito rapidamente para que os medicamentos surtam o efeito necessário.

O herpes labial também pode ser contraído por esta forma de contato. Causada por um vírus, a doença pode até não se manifestar por meses, mas quando a imunidade está baixa ela aparece. Na maioria das vezes, na forma de feridas na região dos lábios.

De acordo com um estudo realizado por médicos australianos, beijar na boca de múltiplos parceiros aumenta em quatro vezes a chance de pegar meningite meningocócica. A definição de "múltiplos" para os pesquisadores é de sete pessoas em duas semanas, conta que parece até pequena para quem observa a "pegação" em muitas baladas. A transmissão da meningite preocupa os médicos, já que a doença tem uma evolução rápida e pode ser fatal. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, vômitos, diarreia e rigidez dos músculos da nuca, ombros e costas.

Qual a importância de aprender um idioma na INOVA GESTÃO?

O Brasil é um país gigante, o quinto maior em dimensão, de norte a sul a língua que falamos é a mesma, apesar das diferenças de sotaque, ou...