Codeplan abre inscrições para concurso de trabalhos técnico-científicos

Os três primeiros colocados e o vencedor na categoria Jovem Pesquisador receberão prêmios em dinheiro. Henrique Lara foi segundo colocado da edição de 2015

Os três primeiros colocados e o vencedor na categoria Jovem Pesquisador receberão prêmios em dinheiro. Henrique Lara foi segundo colocado da edição de 2015. Foto: Toninho Tavares.
Tem início nesta sexta-feira (5) e termina em 14 de novembro o prazo para participar do 2º Prêmio Codeplan de Trabalhos Técnico-Científicos. Assim como na primeira edição do concurso, os trabalhos devem estar relacionados ao tema geral: Desenvolvimento do Distrito Federal e da Ride (Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno).

Podem participar pessoas de qualquer nacionalidade que tenham curso superior completo. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 8 mil, R$ 6 mil e R$ 4 mil. Neste ano, o concurso traz uma novidade: a categoria Jovem Pesquisador, cujo vencedor receberá R$ 4 mil.

“O que nos surpreendeu no ano passado foi justamente a participação muito ativa de jovens pesquisadores”, explica o presidente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Lucio Rennó. Ele completa que, ao perceber isso, quis estimular mais a participação desse público, que concorrerá à premiação geral e à específica, de maneira não cumulativa.

Candidatos com até 25 anos que apresentarem trabalhos de conclusão ou de resultados de pesquisa em 2015 e 2016, ambos de graduação, devem indicar na capa da monografia que concorrem na categoria Jovem Pesquisador.

O concurso conta com parceria da Federação das Indústrias do DF (Fibra), financiadora dos prêmios em dinheiro, e do Sindicato das Indústrias Gráficas do DF, que apoia com o material de divulgação.
Vencedores ganham prêmio em dinheiro e terão os trabalhos publicados

Além das quantias em dinheiro, os vencedores terão os trabalhos publicados na série Texto para Discussão, da Codeplan — como ocorreu com o bancário Henrique Lara, de 31 anos, autor de Brasília, uma cidade centenária. Ele ficou em segundo lugar no concurso de 2015: “Isso até me estimulou a tentar desenvolver mais, a buscar um mestrado na área.”

Henrique conta que tem o hábito de acompanhar estudos, como a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), e por isso encontrou no site da Codeplan a divulgação do concurso. “Então pensei: será que dou conta? Será que vou conseguir em dois, três meses mover do zero uma monografia?”, explica ele, formado em ciência política.

A solenidade de premiação ocorrerá em 9 de dezembro, em local a ser definido em Brasília. O resultado será publicado no Diário Oficial do Distrito Federal e estará disponível no site da Codeplan.

“[O concurso] é uma forma importante de reconhecimento e de divulgação de trabalhos e, consequentemente, de contribuição para o debate sobre o desenvolvimento do Distrito Federal”, destaca Rennó.
Critérios para participação no concurso

Os trabalhos precisam ter no mínimo 25 e, no máximo, 70 páginas, incluídos anexos, tabelas, gráficos, figuras e bibliografia, e devem ser escritos de acordo com instruções da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) apresentadas no edital. Podem ser individuais ou em equipe e devem abordar um dos oito temas descritos nas regras do concurso, alinhado ao tema geral.

As inscrições são gratuitas e devem ser encaminhadas à Codeplan obrigatoriamente via Sedex, com data de postagem nos Correios até 14 de novembro de 2016. De acordo com o edital, é preciso enviar ficha de inscrição preenchida e assinada pelo autor ou representante da equipe. O trabalho tem de ser inédito e original e não pode ter sido divulgado ou publicado anteriormente, ou participado de concurso similar, ainda que não premiado. Além disso, outras informações são exigidas, como cópias de documentos dos autores, currículo — recomenda-se o modelo Lattes —, e comprovante de formação acadêmica.

De acordo com o regulamento, ficam impedidos de participar trabalhos premiados ou agraciados, incluindo menção honrosa, em concursos similares; de autoria dos integrantes da comissão julgadora e dos responsáveis pela execução do concurso; e que tenham sido divulgados ou publicados em outros meios, como jornal, periódico e revista especializada.


A escolha dos trabalhos premiados será feita por uma comissão julgadora composta por, no mínimo cinco e, no máximo, oito pessoas. O grupo, que não terá conhecimento da identidade dos participantes, adotará como critérios para a avaliação sete diretrizes, entre elas, concordância com a temática do concurso, atualidade, originalidade e/ou ineditismo do trabalho e profundidade do conteúdo.

Qual a importância de aprender um idioma na INOVA GESTÃO?

O Brasil é um país gigante, o quinto maior em dimensão, de norte a sul a língua que falamos é a mesma, apesar das diferenças de sotaque, ou...